quarta-feira, fevereiro 04, 2015

O LUGAR ONDE EU MORO...

Portão branco, rastros de ferrugens e um campo abandonado, nada de hotel 5 estrelas ou vista para Copacabana apenas meu bairro.
O lugar onde eu moro não é exatamente onde eu desejava morar, não ando por aí e encontro atores da globo ou uma calçada da fama, tudo o que eu tenho e a mediocridade de pessoas se drogando e sorrindo por isso e eu ali de longe folheando as páginas de um livro qualquer só para disfarçar o meu olhar para aquele “espetáculo” como eles chamavam. Quanta ironia, não? Afinal onde vivem as pessoas que ainda admiram o nascer do sol, onde estão as crianças ingênuas e os sorrisos sinceros? Parecem estar longe daqui como se estivéssemos separadas pela crueldade de um mundo devasto.
Estou cansada. Cansada de ser vilipendiada e incompreendida, tudo o que eu queria era dizer “o lugar onde eu moro é o meu paraíso”, então desculpe-me. Desculpe-me por não relatar o amor e a pureza, mas saiba que todas essas palavras são ditas por uma menina de olhos sinceros e ao mesmo tempo cansados. Ouço pessoas reclamando ao mesmo tempo que se conformam com tal situação. Logo me pergunto o que uma pequena menina poderia fazer por tudo isso? Não sei ao certo, mas ouvi dizer que se queremos mudar o mundo temos que mudar primeiro a si próprios, afinal como se pode manter uma casa limpa se nós mesmos estamos sujos?
A menina de palavras é apenas uma adolescente sonhadora e otimista que mesmo cansada ainda fantasia com “um mundo algodão doce” onde haja mais abraços aconchegantes, mais sorrisos sinceros e palavras verdadeiras. Meu sonho de lugar perfeito é tão simples e singelo. Não me importaria em morar no alto de um morro ou na cobertura de um prédio chique, afinal o que lhe dá felicidade não é só a riqueza material e sim a sinceridade dos sentimentos. Tudo o que eu queria era lhe fazer enxergar que tudo o que exalta é supérfluo, aquele carro que comprou ontem não vai curar sua ferida, a festa que fará amanhã não vai preencher o vazio. Você me diz todo orgulhoso que mora no mais lindo dos prédios e eu ainda me envergonho em te trazer na simplicidade do meu lar, mas quer saber ao redor de cada esquina a vida é uma mediocridade só, mas no aconchego da minha casa eu encontro o que preciso pra ser feliz, encontro o que o mundo precisa pra ser menos egoísta.
Alegria.

4 comentários: